Jejum para coleta de sangue: necessidade ou coisa do passado?

Recentemente surgiu uma grande discussão sobre a necessidade ou não do jejum antes da coleta de sangue. Alguns defendiam a permanência do período sem ingestão de alimentos e outros acreditavam que a ingestão desses alimentos não interferia no resultado final do exame. Nesse artigo você descobrirá se o jejum deve permanecer ou não.

O jejum na realidade é um facilitador para que o laboratório possa padronizar as análises, já que os valores de referência foram estabelecidos em indivíduos nessas condições. A refeição pode alterar a composição sanguínea, o que faria com que cada análise tivesse que ser feita de acordo com o que a pessoa ingeriu.

A resposta é: depende. Antigamente basicamente todo e qualquer exame requisitava o jejum, de 4 a 12 horas, entretanto estudos indicaram que diversos desses exames não tinham a necessidade do jejum, já que as taxas não tinham alterações significativas, além de que, muitos pacientes não aguentavam o período sem comer. Entre os exames que dispensam o jejum temos o hemograma.

A mudança também ocorreu para outros exames, como os que medem tririglicerídios e colesterol, que tem o objetivo de identificar possíveis problemas cardíacos. Porém a mudança desses está no período do jejum, que caiu de 12 para 8 horas, trazendo mais conforto para o paciente.

Essas mudanças ocorrem também pelo fato da tecnologia de análise evoluir a cada dia, sendo mais efetiva e rápida.

Os alimentos não são os únicos vilões na hora do exame laboratorial, existem uma série de fatores que pode gerar problemas na hora da análise. Entre eles temos:

Álcool: A bebidas alcoólicas podem gerar falsos resultados principalmente em exames de triglicérides. Uma simples cerveja pode elevar os níveis e comprometer a coleta. O indicado é ficar três dias sem ingerir álcool antes do exame.

Remédios: Antibióticos e anti-inflamatórios interferem na coagulação do sangue. Dependendo da situação é indicado que o remédio seja suspenso por um período, e caso isso não seja possível, ele é um fator que deve ser levado em conta na avaliação final.

Cigarro: É preciso que o paciente não fume no dia do exame, isso porque, o fumo altera diversos exames, como de agregação plaquetária e curva glicêmica.

Período do dia: Existem alguns exames que devem ser feitos apenas no período da manhã, já que há substâncias presentes no nosso corpo que têm um pico no período da manhã. Entre os exames que devem que se enquadram nesse fato temos os exames que medem a taxa de cortisol, ferro e ACTH.

 

Não existe uma resposta única para a realização ou não do jejum, essa é uma condição que varia de acordo com o paciente e tipo de exame. O correto a se fazer é se informar com seu médico e também tirar todas as dúvidas possíveis com o laboratório, só assim você terá um resultado mais próximo do ideal.

Se você se interessou pelo tema, clique aqui e conheça todas as etapas de um exame laboratorial. 

Faça o download do catálogo de produtos SOL-Millennium!

Aviso: os comentários a seguir são de inteira responsabilidade do autor e não necessariamente representam a visão do SOL-Millennium.

Deixe seu comentário