Humanização na saúde: o caminho que todos devemos seguir

Apesar das constantes evoluções tecnológicas na área da saúde como novos aparelhos, técnicas e até impressões 3D, ainda existem diversos relatos de pacientes que não se sentem acolhidos e chegam até a perder a calma em hospitais ou clínicas. Os motivos para esse desconforto são vários, desde a demora na hora da consulta até a impessoalidade do atendimento dos profissionais.

Pensando na situação das pessoas que chegam nos hospitais: o que podemos fazer para que a ida ao ambiente hospitalar não seja traumática para os pacientes e seus familiares?

A resposta é a humanização. Você provavelmente já ouviu falar dessa maneira de trabalhar, principalmente na área da saúde. Mas afinal o que isso significa?

Humanização, segundo o dicionário, é a “Ação ou efeito de humanizar ou humanizar-se; tornar-se mais sociável, gentil ou amável”. É nessa definição que a atuação dos profissionais da saúde deve estar pautada para entregarem um atendimento que possua respeito com a vida humana.

E para entregar esses cuidados, é necessário estar atento a alguns pontos:

  • Relação médico e paciente:

É muito importante que o profissional da saúde valorize e saiba lidar com o emocional do paciente. Entender que eles são o resultado de suas histórias vividas e que as dores, tanto físicas quanto emocionais, fazem parte do caminho para a cura do quadro. Algumas formas simples de implementar isso no dia a dia é tratando o paciente pelo nome, olhar nos olhos, passar confiança ao indicar o tratamento e respeitar a intimidade de cada um.

 

  • Ambiente:

O ambiente de trabalho também precisa estar adaptado para que ele se torne acolhedor. Para que isso aconteça, práticas de humanização devem ser implantadas, visando o bem-estar do paciente e do profissional. Um exemplo é evitar a alta carga de trabalho para que os profissionais não se sintam sobrecarregados e estejam mais propensos a realizar o atendimento com mais calma.

 

  • Dar importância aos dados coletados:

Para que se tenha um tratamento humanizado, é ideal que hajam informações em que o profissional possa se embasar para realizar o atendimento. Quando a coleta e armazenamento desses dados é feita de uma maneira correta, cada consulta é tratada como uma continuação do tratamento e não como visitas individuais. Trabalhando dessa forma, o paciente recebe uma atenção única e o profissional consegue enxergar melhor o quadro como um todo.

A Política Nacional de Humanização se pauta em três princípios: inseparabilidade entre a atenção e a gestão dos processos de produção de saúde, transversalidade e autonomia e protagonismo dos sujeitos. Ela está em constante atualização, buscando uma coerência com os princípios do SUS. Trata-se de uma política institucional construída coletivamente, envolvendo não apenas o governo, como também instancias estaduais e municipais.

A implementação da humanização ainda enfrenta diversos problemas no Brasil, uma vez que depende da realidade individual de cada instituição e de como ela enxerga a questão, mas não podemos deixar que isso atrapalhe a execução deste processo. Os benefícios, tanto para os pacientes quanto para os profissionais, são muito maiores do que qualquer dificuldade que venha a aparecer no caminho, assim como o legado que irá permanecer para o futuro.

 

Confira outros artigos da SOL-Millennium e fique por dentro dos principais assuntos da área da saúde e da enfermagem.

 

Faça o download do catálogo de produtos SOL-Millennium!

Warning: the following comments are the responsibility of the author and do not necessarily represent the views of the SOL-Millennium.

Deixe seu comentário