Me Feri com Produto Hospitalar Contaminado. E Agora?

Profissionais da saúde correm o risco de ficarem expostos a agentes infecciosos com frequência por, entre outros motivos, usarem cotidianamente materiais perfurocortantes, sendo que estes podem estar contaminados com vírus das hepatites B e C e HIV.

De acordo com um estudo publicado na Revista Latino-Americana de Enfermagem, só na Grande Florianópolis, em 2007, 118 trabalhadores da área da saúde sofreram acidentes com materiais biológicos. Desses casos, 32,2% foram decorrentes de procedimentos cirúrgicos, odontológicos e laboratoriais; 16,95% da administração de medicamentos via endovenosa, intramuscular e subcutânea; 10,16% por descarte inadequado do produto hospitalar contaminado; e 5,93% no reencape de agulhas.

Quando uma pessoa entra em contato com um produto hospitalar contaminado, há algumas medidas que podem ser tomadas para reduzir o risco de transmissão de doenças. Veja abaixo quais são elas.

 

Providências que devem ser tomadas ao se acidentar com produto hospitalar contaminado

Em caso de acidentes percutâneos ou cutâneos, o ideal é lavar imediatamente o local com água e sabão. Já se a exposição ocorreu pelas mucosas, a recomendação é lavar com água ou solução salina fisiológica. Além disso, é imprescindível evitar o aumento da área acidentada, para, assim, dificultar a entrada de vírus e bactérias. O próximo passo, então, é procurar um médico.

 

Como evitar o contato com materiais contaminados?

Os profissionais de saúde devem usar equipamentos de proteção individual para diminuir as chances de entrarem em contato com algum produto hospitalar contaminado.

Além disso, é de suma importância seguir os protocolos de descarte de resíduos. Mas, para que os funcionários façam isso corretamente, é necessário que as instituições instruam os trabalhadores.

 

Descarte incorreto de resíduos pode fazer vítimas até fora dos serviços de saúde

Descartar irregularmente um produto hospitalar contaminado pode expor catadores, garis e outros profissionais que trabalham com descarte e separação do lixo a graves doenças.

Para que isso não ocorra (e também para não prejudicar o meio ambiente), lixos hospitalares, como agulhas, seringas e medicamentos, devem ser encaminhados para empresas especializadas neste setor.

 

Uso de dispositivos de segurança pode diminuir a exposição a agentes infecciosos

Utilizar seringas, escalpes e agulhas com dispositivos de segurança é uma forma eficaz de evitar acidentes com materiais perfurocortantes, que podem transmitir doenças. Visando o bem-estar dos profissionais de saúde, a Sol Millennium possui uma linha completa com esses produtos, a SOL-CARE.

 

Para aprofundar os seus conhecimentos neste assunto, baixe o e-book Como evitar acidentes com perfurocortantes e mantenha-se informado com os conteúdos do site da Sol Millennium!

Faça o download do catálogo de produtos SOL-Millennium!

Warning: the following comments are the responsibility of the author and do not necessarily represent the views of the SOL-Millennium.

Deixe seu comentário

Publicações relacionadas