Como o usuário deve descartar a seringa de insulina após o uso?

Confira o passo a passo do descarte correto

 

Quando o diagnóstico de diabetes é dado ao paciente, orientar sobre os materiais que serão usados por ele diariamente é o primeiro passo. Entre os itens mais comuns estão as  agulhas, seringa de insulina e, em alguns casos, tiras para fazer a medição de glicose no sangue.

Contudo, um problema que é bastante recorrente diz respeito ao descarte incorreto desses materiais. Muitas vezes, eles são depositados nos lixos domésticos, contribuindo para os acidentes dentro de casa e até mesmo para a contaminação de outras pessoas, além de prejudicar o meio ambiente.

Saiba, a seguir, como o usuário deve descartar a seringa de insulina após o uso, preservando sua saúde e a de outras pessoas.

 

Indique recipiente s adequados para fazer o descarte dos materiais

 

Seringa de insulina, canetas, tiras, refis, agulhas e lancetas deverão ser descartadas em um recipiente adequado. Alerte os pacientes sobre os modelos disponíveis gratuitamente em algumas Unidades Básicas de Saúde ou que podem ser adquiridos em farmácias e lojas especializadas. Existe também o descarte sustentável, que pode ser feito em objetos compostos por plásticos resistentes.

Indique ao paciente as opções mais adequadas e informe que ele jamais poderá depositar esses materiais em recipientes de vidro ou de papelão, pois estes podem quebrar ou permitir que o perfurocortante transpasse  o objeto.

Caso o descarte seja sustentável, o recipiente precisa ter a boca larga, para acomodar todos os materiais, e deve ter tampa de rosca, a fim de facilitar o manuseio e descarte.

É importante também identificar os recipientes para evitar acidentes domésticos, principalmente se a casa tiver crianças.

A melhor forma de identificação é a utilização do símbolo universal de material infectante. Cole o símbolo na embalagem de descarte e guarde-a em um local alto, seguro e livre do trânsito ou manuseio de outras pessoas e animais domésticos.

No caso do descarte feito em um coletor especial — próprio para materiais com sangue e perfurocortantes —, é importante ficar atento ao momento de substituí-lo. Assim que ele atingir dois terços de sua capacidade, é necessário fechá-lo, colocá-lo em uma sacola plástica, amarrar as alças e depois guardá-lo em outra sacola ainda mais resistente.

 

Informe quais lugares fazem o recolhimento de seringa de insulina e outros materiais

Após armazenar os materiais de maneira correta, oriente o usuário a ir até uma unidade de saúde, que se responsabiliza pelo descarte adequado, sem que haja riscos para a saúde de outras pessoas ou para o meio ambiente.

O descarte correto dos materiais utilizados para controle de diabetes é uma questão de cidadania. Pois além de contribuir para o meio ambiente, evita que outras pessoas se machuquem e se contaminem.

Ao orientar o usuário sobre o descarte da seringa de insulina e demais materiais após o uso, frise também a importância do ato para que ele tenha consciência e faça sempre o descarte correto.

Para garantir a segurança dos profissionais de saúde, a Sol Millennium possui a Seringa de Segurança Retrátil. Entre em contato conosco para conhecer todos os benefícios do produto!

 

 

Faça o download do catálogo de produtos SOL-Millennium!

Warning: the following comments are the responsibility of the author and do not necessarily represent the views of the SOL-Millennium.

Deixe seu comentário

Publicações relacionadas